Publicado em

O Caminho do Ouro I

Ao ver uma joia na vitrine, é fácil imaginá-la no futuro. Com toda certeza, ela vai combinar com o seu look preferido, com a sua rotina, com aquele momento especial que pede uma produção mais caprichada.

Complicado mesmo é imaginar o que veio antes. Para chegar até ali, o ouro percorreu um longo caminho e passou por diversos processos para, finalmente, transformar-se em joia.

Na arte da ourivesaria cada detalhe do processo exige uma perfeição artística. Meticulosa, artesanal e, cá entre nós, bastante difícil.

Ninguém disse que seria fácil.

Quer descobrir onde tudo começa? Vem com a gente numa jornada que inicia na mina de ouro. Às vezes centenas de metros abaixo da superfície.

Na busca pelo metal mais amado do mundo, a mina é dividida em níveis que deixam de ser utilizados na medida em que todo o ouro é coletado. Ou seja, quanto mais uma mina é explorada, mais profunda passa a ser a busca pelo ouro.

É lá embaixo que o desafio aumenta. Para encontrar o metal, os mineradores realizam uma série de sondagens e explorações. A estimativa é de que existam 7,6 gramas de ouro a cada tonelada de rocha.

Isso mesmo: só 7,6 gramas. E pra facilitar esta busca, equipamentos especializados explodem as rochas, dividindo-as em pequenos pedaços. Estes pedaços são levados para a superfície, onde acontece o beneficiamento e o tratamento do minério.

caminho-do-ouro-mineracao

Os alquimistas estão chegando.

Aqui estamos na superfície. É nesta etapa que a mágica acontece e o metal é separado da rocha. O próximo passo é o refino depois o ouro é fundido para se transformar em barras.

No fim do arco-íris existe uma barra de ouro.

Aposto que você pensou que as joalherias recebem o ouro no formato de barra, certo?

Nada disso.

A forma como elas recebem a tão aclamada matéria-prima é bem diferente do imaginado. Quer saber como o ouro se transforma em joia na Manoel Bernardes? No próximo post você confere todos os detalhes. Aguarde.