O programa Rolex de Mestres e Discípulos

Apresentação do Programa

O Programa Rolex de Mestres e Discípulos é uma iniciativa filantrópica internacional que seleciona jovens talentos no mundo todo a fim de propor uma colaboração criativa com um renomado mestre no âmbito de uma relação de tutoria individual.

História e objetivos

Lançado pela Rolex em 2002, o Programa objetiva contribuir para a preservação do patrimônio artístico mundial e perpetuar a tradição de excelência individual que a Rolex sempre cultivou ao longo de sua história. Destinado a artistas com grande potencial que estejam em início de carreira, o Programa oferece a esses jovens um precioso recurso: tempo para desenvolver uma colaboração criativa com mestres consagrados em suas áreas de atuação.

As disciplinas que fazem parte do Programa

As áreas contempladas pelo Programa Rolex de Mestres e Discípulos são arquitetura, dança, cinema, literatura, música, teatro e artes visuais. No âmbito do Programa, pode ser organizada uma oitava tutoria em outras disciplinas artísticas ou em atividades interdisciplinares.

Calendário do Programa

As tutorias estão organizadas em períodos alternados para cada disciplina. Em 2018−2019, o Programa Rolex de Mestres e Discípulos será desenvolvido nas áreas de arquitetura, dança, literatura e música. Em 2020−2021, será dedicado às áreas de cinema, teatro e artes visuais, além de uma oitava disciplina que pode mudar a cada edição.

O período de tutoria

A Rolex convida os mestres e discípulos a conviver durante pelo menos seis semanas durante o período de tutoria, que se estende por dois anos, mas muitos trabalham juntos um tempo consideravelmente maior. Embora o Programa incentive os participantes a desenvolver projetos que contribuam para reforçar os laços de colaboração entre eles, os mestres e discípulos são livres para definir onde, como e quando se reunirão. Não raro, os discípulos escolhem um projeto que desejam desenvolver com orientação e apoio dos mestres, mas o Programa não exige a apresentação de um trabalho de conclusão. Ao final do período de tutoria, a Rolex convida os participantes e outras personalidades a celebrar as realizações dos mestres e discípulos por ocasião de uma cerimônia pública.

A seleção de mestres

A cada dois anos, um Comitê Consultivo formado por eminentes artistas e profissionais ligados ao setor das artes é encarregado pela Rolex de sugerir o nome de grandes mestres que possam atuar como tutores. Uma vez que esses grandes artistas tenham aceitado participar, a Rolex define com eles os critérios para a escolha dos discípulos.

A seleção de discípulos

Os jovens artistas não podem se candidatar diretamente ao programa. Para cada disciplina, a Rolex cria uma comissão de especialistas que mobilizam suas redes internacionais de contatos, a fim de identificar, em diversos países, jovens talentos que correspondam ao perfil de discípulo definido por cada mestre. A fim de garantir a imparcialidade do processo, os nomes dos membros das comissões não são divulgados durante a fase de seleção. Cada comissão de nomeação recomenda candidatos em sua área, e esses candidatos são convidados, pela Rolex, a apresentar um dossiê. Depois de examinar as candidaturas, a comissão indica três ou quatro finalistas. No final do processo, a Rolex organiza encontros para que cada mestre conheça os finalistas e possa escolher um discípulo.

A retribuição dos mestres e dos discípulos

 

Cada mestre recebe honorários no valor de 100.000 francos suíços. Os discípulos, por sua vez, recebem, cada um, um subsídio de 40 mil francos suíços durante o período de tutoria, além de uma soma para financiar viagens e outras despesas. Ao final do período de tutoria, os discípulos se tornam membros da comunidade Rolex de Mestres e Discípulos e podem se candidatar a receber mais 30.000 francos suíços para financiar a criação de um novo trabalho, publicação, espetáculo ou evento público. Os membros da comunidade artística Rolex podem também apresentar um pedido de financiamento para a criação de um trabalho em colaboração com outros membros.

 

Repercussão

Em relação aos discípulos, o impacto do Programa cobre um amplo leque de possibilidades – por exemplo, a publicação de um novo romance, a montagem de uma peça de teatro, o ingresso na companhia de dança do mestre ou uma obra de arte criada em parceria com o mestre. Para muitos jovens artistas, os benefícios podem se estender durante vários anos. Por isso, a Rolex mantém contato com os discípulos de edições passadas, acompanhando de perto suas carreiras. Entre as muitas realizações dignas de nota, destacam-se os exemplos de ex-discípulos que tiveram seu trabalho apresentado em grandes exposições internacionais,  como a Bienal de Arte de Veneza e a Mostra Internacional de Arquitetura, de uma discípula que se tornou diretora artística de uma importante companhia teatral e de outra que foi nomeada Poetisa Laureada dos Estados Unidos.

Comunidade mundial de criatividade

Desde o lançamento do Programa Rolex de Mestres e Discípulos, mais de 1.100 jovens artistas profissionais de 105 países foram indicados para participar da iniciativa, chamando a atenção dos especialistas de suas áreas de atuação. Ao todo, 253 personalidades de destaque no mundo das artes nomearam jovens artistas e selecionaram os finalistas a discípulos, e 123 artistas e profissionais atuaram como consultores. Desde a criação do Programa, 54 artistas consagrados aceitaram ser os mestres de 54 discípulos originários de 34 países. A Rolex considera que uma das maiores conquistas do Programa Rolex de Mestres e Discípulos é a expansão dessa grande comunidade internacional que celebra a importância da criatividade artística.